Redes colaborativas pela transformação social



O que é solidariedade? É possível errar ao ser solidário? Reunimos aqui algumas das principais diferenças entre solidariedade, caridade e "fraude" para que ninguém fique atrás.

Por Katia Gonçalves Mori

Solidariedade e (falsa) caridade

Clarear os conceitos fortalece as redes colaborativas e desarmam atitudes que minam as relações de confiança entre as pessoas. Pensar sobre isso é fundametal principalmente em contexto de pandemia pela COVID-19. Esse é um desafio e uma responsabilidade de todos nós!

Solidariedade: é a colaboração na emergência e na causa para o enfrentamento do problema em favor do bem de todos e cada um. Um bom exemplo pode ser a rede colaborativa de cientistas de todo o mundo trabalham pelo enfrentamento da covid-19 por meio de tarefas simples e complexas.

Clicando aqui é possível conhecer como trabalham e como participar.

Caridade: é vem de cáritas, termo religioso, significa amor cristão remete a ideia de doar, ajudar a quem precisa. No que diz respeito ao plano emergencial dos problemas sociais, caridade e solidariedade significam unir forças para ajudar. Há muitas maneiras de contribuir, como ONG Amigos do Bem, do Brasil, tem um excelente trabalho atendendo mais de 75 mil famílias que vivem em regiões vulneráveis do sertão nordestino.

Infelizmente, muitas pessoas se aproveitam dessa situação para uma promoção pessoal ou para alimentar redes criminosas. Conhecida como "falsa caridade", essa prática precisa ser combatida, pois muitas vezes tira energia de projetos eficazes de colaboração, pois promove desconfiança e enfraquece a coesão social.

Atitudes para minar a falsa caridade

  • Saber que o problema existe, o negacionismo alimenta o processo
  • Desmontar comportamentos de caridade focados no próprio ego
  • Duvidar de “achismos” e certezas baseadas em opiniões pessoais
  • Checar os atores envolvidos antes de colaborar 
Em atividades educativas de intervenção social, vale conhecer a realidade antes de propor a ação (diagnóstico inicial):
o que o outro precisa (não começar a partir das próprias crenças e necessidades)
- buscar por relações horizontais, a solidariedade é estabelecida em redes colaborativas
- considerar o saber local, checar fontes antes de iniciar qualquer ação
- práticas baseadas em aprendizagem solidária são um ótimo exemplo inspirador

Entre outros

Para saber mais, clique aqui e acesse o slideshare



Comentários