Transformar a comunidade em um ambiente de aprendizagem


O Brasil agradece Gilberto Dimenstein por sua grande obra em favor da educação, das juventudes e das diferentes configurações das cidades educadoras.

Credit: Avel Chuklanov
Por Katia Gonçalves Mori

Transformar a comunidade em um ambiente de aprendizagem, ampliando os limites das salas de aula, é o desafio dos Bairros-Escola. Educar converte-se, então, numa responsabilidade coletiva, na qual professores e gestores passam a contar permanentemente com as mais professores e gestores passam a contar permanentemente com as mais diversas parcerias públicas e privadas, a começar pelas famílias. 

Busca-se, assim, criar a malha multidisciplinar em que se aproveitam todas as ofertas possíveis em torno da educação: aproveitam todas as ofertas possíveis em torno da educação: centros de saúde, cinemas, teatros, praças, parques, clubes,  museus, empresas, universidades, instituições não-governamentais, tudo contribuindo para aumentar o apoio aos alunos.  

Este livro, Bairro-Escola passo a passo, apresenta o passo a passo dessa tecnologia social de baixo custo, visando primordialmente melhorar o desempenho acadêmico, e, ao mesmo tempo, valorizar a convivência comunitária e, assim, enfrentar os riscos de violência. Procuramos agregar experiências de sucesso no Brasil: em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, que ilustram como é possível planejar, implementar e avaliar processos educativos em rede.

Essa é a carta de abertura da publicação Bairro-Escola, uma proposta que valoriza o processo ensino-aprendizagem fortalecendo a escola como núcleo de cidadania.  Gilberto Dimenstein foi jornalista, escritor, esteve também envolvido  com a criação da ANDI - Comunicação e Direitos, do Catraca Livre, entusiasta de projetos como o Programa Cidade Educadora, tão forte em Espanha, Portugal e em outras partes do mundo.

O escritor e amigo Gilberto perdeu hoje a luta contra um grave cancro. Em sua jornada, trabalhou para tornar possível um projeto educativo de formação das juventudes para a construção de um mundo melhor. Que seja feita a sua vontade e que tecnologias sociais como essas despertem nas pessoas a consciência da força da cidadania ativa, consciente, oferecendo alternativas inovadoras que valorizem os saberes e as histórias locais. Nesse processo, os professores são catalisadores de uma transformação que envolve os jovens e toda a comunidade. Que toda a sua obra inspire educadores por todo o mundo fortalecendo práticas colaborativas e articuladas para o desenvolvimento humano e sustentável. 









Comentários